terça-feira, 14 de janeiro de 2014

2012 - Parte II

Depois de todo o azedume do último post fui dormir desolada. Naquele dia eu pouco me importei em lembrar que certamente existiam pessoas em situações infinitamente piores do que a minha. Meu bico durou até o amanhecer, quando fui acordada pelo toque alto do telefone. Era a Confiat avisando que havia um carro reserva disponível para mim. Na hora fiquei sem saber se aquela era realmente uma notícia boa, já que poderia significar que meu carro demoraria além do estipulado na assistência. Contudo, resolvi pegar o dito cujo para não ficar na mão justamente nas férias.

Horas depois, estava eu saindo do pátio da Localiza com um Novo Uno prata, super ágil e de direção leve. Gostei do carrinho! Por alguns segundos até esqueci do meu... Enfim, aproveitei para ir ao alergo e contar para ele que a alergia havia desaparecido. Saí de lá com mais uma dose da vacina para tomar e a recomendação de voltar para dar continuidade ao tratamento. Finalmente encontrei um médico aqui em Salvador capaz de resolver meu problema! Ponto para Dr. Carlos!!

Na sexta-feira acordei cedinho, fui para uma consulta de rotina com a minha gineco e de lá mesmo me mandei para a praia. No caminho, me ligaram da Cresauto para informar que meu carro seria entregue provavelmente naquela tarde. Cheguei na praia exultante de felicidade! Nem preciso dizer que de lá para cá tudo vem dando certo, não é?

Aproveitei o sol como nunca e vivi momentos de descontração com pessoas queridas. Fui para Jacuípe, tomei banho de rio e ri horrores num domingo quente e de céu azul. Curti uma praia tranquila com Raquel e Lorena, relembrando passagens não muito distantes das nossas vidas. Depois da praia, fui conhecer a casa nova da minha amiga que, apesar da ficha ainda não ter caído, se casou. Tudo muito bonitinho, de bom gosto e repleto de carinho em todos os cantos. Naquele dia, desejei com todo o meu coração que eles possam ser felizes, sempre!

Saí de lá com um convite maravilhoso: passar alguns dias com eles em Vilas do Atlântico, um bairro - quase uma cidade - muito charmoso de Lauro de Freitas, cidade vizinha a Salvador. Na sexta-feira partimos e lá vivemos dias intensos de muito sol, calor, banho de mar e piscina, risos, comidinhas gostosas e companhias melhores ainda. Relaxei bastante!Voltei para casa com a promessa de retornar paraVilas ainda esta semana, promessa essa que estou doida para cumprir!

Agora posso dizer que 2014 tem sido maravilhoso, leve e feliz. Feliz Ano Novo!

Ouvindo: War of my life - John Mayer

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

2014

Mais um ano chegou. Dessa vez chegou bem diferente... Eu nem notei. Estava dormindo, fugindo das chateações bobas e momentâneas que nos acometem vez ou outra. O ano começou de uma forma totalmente diferente da que eu havia imaginado ou desejado. Espero que essa coisa de começar bem seja só superstição...

Creio que a realidade da vida se abate sobre mim a cada dia que acordo e me levanto para enfrentá-la. Eu e essa minha mania de achar que as coisas e pessoas deveriam ser diferentes. Sempre acabo por acreditar que elas pensam apenas em si mesmas. E eu devo ser assim também... Ou não. Ou mais ou menos assim. O fato é que percebo diariamente, nas pequenas coisas, que o real sentido da palavra 'amizade' está muito distante de algumas das relações que tenho. O pior é que essa sensação não é nova. Tantas vezes deixei pessoas para trás por causa dela. E o saco encheu de novo. 

Novidades? Comprei um carro. Mais novidades? Ele quebrou dois dias depois. Quer mais? Ele está há uma semana na concessionária para ser reparado. E eu? Eu mal vejo a hora dele ficar pronto para sair por aí conhecendo gente nova. É que com um meio de transporte próprio tenho mais liberdade e dependo menos dos outros. Na verdade, quero mostrar a essa gente mal agradecida que não dependo nem por um segundo da companhia que podem me oferecer nas horas vagas. 

Comecei o ano com bastante egoísmo. Calada. Sozinha. Mas, mais importante do que isso, comecei compreendendo cada sentimento e aceitando-os, mesmo sabendo que não são bons. Preciso senti-los e me incomodar com a presença deles, para depois superá-los e achar melhor maneira de ver as coisas. É que quando a gente vê o copo meio cheio, tudo parece melhor. Que em 2014 eu possa aprender a fazer isso!

Ouvindo: Home - Michael Bublé

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Novidades

Quem é vivo sempre aparece! Saudade disso aqui, minha gente! De escrever sobre essa pessoa fantástica que sou eu! Estão me perdendo, viu? É muito talento, muita inteligência e criatividade para uma pessoa só... Minha amiga estava falando que Clarice Lispector era perfeita. Nossa, me deu um medo quando ela disse isso. Logo pensei que eu também sou perfeita... E que ela morreu! Será que é sempre assim? Espero que não! 

A novidade? Não, não arranjei um namorado. Ainda... Parei de procurar, estou me fazendo de difícil agora para que ele encontre. Afinal, não pode ser qualquer um. Não pode ser mole, indeciso e mais novo do que eu. Nem desempregado. Também não pode ter saído em blocos carnavalescos como Largadinho, Crocodilo, Yes, Cheiro e Corujas. Não pode ter dez anos na minha frente. Não pode não gostar de forró, São João e afins. Não pode ser viciado em cerveja. Também não pode me deixar em casa para ir a Igreja, ao Centro Espírita ou Terreiro de Candomblé (creiam, já aconteceu comigo). Não pode ter amigos idiotas e nem ficar me alugando para falar da ex... Tá fácil, fácil. Não sei mesmo o motivo de não ter arranjado alguém ainda.

A novidade é que perdi 3kg em seis meses! Um avanço e tanto! Estou me sentindo linda, magra e totalmente sexy. Me digam, 500g por mês é muita coisa, não é? Minha conduta evitativa de refrigerantes durou 3 semanas. Meu açúcar deve ter caído bastante! E a hidroginástica do condomínio nem sinal... Desse jeito vai ficar complicado perder mais peso. 

A outra novidade é que agora vivo exclusivamente para o trabalho. Vocês queriam o que? Dar 40 horas semanais numa escola é quase o mesmo que deixar de fazer outra coisa na vida. Vão fazer Pedagogia para saber do que estou falando. E juro que não reclamo dos planejamentos e relatórios que tenho que fazer em casa nas horas que me restam. Educação é uma cachaça mesmo... E é ela que eu bebo todos os finais de semana enquanto fico deitada na cama em frente ao ar-condicionado, caçando atividades e digitando tudo o que os meninos fazem. Durmo que é uma beleza também. Durante a semana é trabalho firme! Não posso perder o ritmo e nem deixar de garantir que as crianças dos dois turnos tenham uma professora completa!

Nossa! Acho que nesse ritmo irei emagrecer uns 750 g por mês. Em cem meses eu deixarei de existir e virarei poeira! hahaha...




terça-feira, 20 de novembro de 2012

Piadas da Solteirice IV - A Tia e o Tatuado

Como sempre, aqui em casa a conversa sempre cai nos assuntos do coração, mais precisamente aqueles que envolvem chifres. Já tínhamos esgotado os casos de conhecidos chifrudos, quando meu primo falou sobre seu amigo, um cara super dez, que namorava uma traíra. Como nunca perco a piada, falei:

"- Tadinho, ele não merece isso. Dá meu telefone a ele!"
Minha tia, mais rápida que a velocidade da luz, rebateu:
"- Não, Lai, ele não serve para você. Ele é tatuado!"

Nem precisa falar que caímos todos na gargalhada, não é?

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Confissões Solteirísticas III - O Taxista

Ontem, na volta de uma festa de aniversário, chamei um táxi. Depois de intermináveis trinta minutos esperando, eis que ele chegou... E eu fiquei irremediavelmente sem ação quando olhei para o motorista. Lindo. Ele era lindo... 

Depois disso eu me senti super mal por não ter um lindo - ou um feio - para ir me buscar na festa ou para ir comigo se divertir. E aí fiquei imaginando que aquele taxista fofíssimo poderia dar um ótimo namorado. Pensei tanto que só me dei conta de onde estava quando ele parou na porta do meu prédio. Paguei, agradeci, desejei uma boa noite e saí do carro ainda embevecida com aqueles olhos, aquelas mãos - sem aliança - e aquela boca digna de muitos beijos meus. Ele me desejou boa noite, sorriu e arrastou o carro... Foi embora! Só aí que me dei conta de que não pedi o cartão dele...

Mil vezes droga! Dei mil pulos e tremiliques na sala de casa pensando numa boa desculpa para ligar para Tele Táxi e pedir o número dele. Desisti depois de achar uma loucura sem tamanho! Fui dormir desolada... Até agora não me conformei...

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Confissões Solteirísticas II

- Eu já fiquei tão carente que me apaixonei por um cara que era apenas gentil comigo e, é claro, jurava que ele era apaixonado por mim;

- Eu entrei no Badoo e pensei por alguns momentos que poderia ter uma linda história de amor com alguém da Internet, até que conheci um sem noção e tive vontade de me jogar do alto da praça de alimentação do Salvador Shopping assim que o vi de longe. Claro que desativei o perfil! Ah, coloquei o cara pra correr também;

- Eu imagino todas as noites como será o encontro com o meu futuro marido... É claro que sei que metade do que penso provavelmente não vai acontecer, hahaha;

- Eu já me perguntei várias vezes o motivo de ter ficado tanto tempo com os meus ex's. Burrice tem cura, graças a Deus;

- Eu já me perguntei também o que teria acontecido se eu tivesse ido em frente com o meu Engenheiro Químico. Será que agora eu seria a esposa dele? Ia ser muito divertido casar com alguém que trabalha na Braskem;

- Eu já pedi ao meu irmão para me arranjar um amigo dele. Ele não arranjou. Eu tentei sozinha e furaram meu olho;

- Já saí com um cara que me ligava à cobrar e tive vontade de morrer quando ele me levou para comer quibe no Habib's;

- Todas as vezes que saio penso que posso encontrar o meu futuro marido, por isso passo batom até para ir à padaria;

- Tenho tremiliques, ataques de risos irônicos e me debato freneticamente nos finais das comédias românticas: Por que será que o que acontece nos filmes não acontece comigo?

Confissões Solteirísticas I

Tudo bem, eu admito: não dá para ficar sem comentar sobre o tal do solteirismo que me atingiu e não quer mais me largar. O pior de tudo não é nem o fato de ficar solteira e sim o de rodar, rodar, rodar e sempre me bater com homens idiotas, sem visão, sem noção e aparentemente sem cérebro. O que é que eles pensam da vida? 

O problema não é eles quererem apenas sexo, serem infiéis ou desaparecerem no dia seguinte. Toda mulher já teve vontade de apenas fazer sexo, de trair ou de sumirem sem deixar rastros. A questão é ter todos esses aspectos reunidos e somados à falta de papo interessante, de inteligência e de caráter.

Um cara que faz joguinhos para ver até que ponto você pode chegar, por exemplo, é um boboca completo. Eu só me mostro interessada por uma pessoa quando eu realmente estou e não para saber se ela sairia comigo e o que faria. E aquele que te diz milhões de coisas e depois some? Palhaço! Já disse que a minha vida não é picadeiro... Querido, se falta coragem para tomar atitudes, não fala nada, ok?!

Ainda existem aqueles que te levam para comer um acarajé na esquina, que vivem com o papo batido de que estão sem dinheiro, e que no final de semana bebem litros de cerveja com os amigos, pagando, lógico! Sem falar dos que marcam contigo e te deixam plantada esperando por horas e depois aparecem com a maior cara-de-pau dando explicações sem sentido e inaceitáveis.

E os mentirosos? Nossa! Desses tem aos montes por aí...

Quando falo dessas coisas, as pessoas me dizem que eu sou jovem e que tenho mais que aproveitar. Tenho aproveitado bastante, eu juro! Mas a realidade me assusta. Encontrar alguém que te respeite e te dê o mínimo de valor está mais difícil do que ganhar na loteria. 

Estou bastante desiludida! Estou cansada desses caras que aparecem na minha vida e isso é desde o começo. Sabe quando você começa a pensar que deveria ter feito tudo diferente? Estou assim, amargamente arrependida de ter sido sempre tão compreensiva, mansa, covarde. Tem gente que não presta e que não deve passar nem uma semana em nossas vidas, pois corremos o risco de tê-la marcada para todo o sempre...